in ,

Escritores independentes utilizam redes sociais para promoverem suas obras

Nos últimos anos, as redes sociais vêm desempenhando o papel de divulgação de escritores independentes por meio do alcance público on-line. O baixo incentivo e apoio à literatura brasileira tem refletido na dificuldade de autores promoverem suas obras desde a publicação até à divulgação para o público leitor, necessitando que muitos utilizem das ferramentas digitais para atingir um número maior de consumidores. 

A literatura brasileira é um patrimônio que tem preservado a história do país durante séculos com a sua vasta riqueza em manifestações culturais, por intermédio de percursores dos movimentos literários. As obras nacionais funcionam como um amparo fundamental de incentivo à educação por meio da cultura dos livros, independente da faixa etária. O apoio a escritores nacionais, entretanto, não tem o estímulo contínuo para a publicação de exemplares, muito menos um retorno imediato de leitores. Por esse impasse, a busca por mecanismos virtuais foi o atalho que muitos autores enxergaram para dar continuidade à profissão. 

O escritor Cavalheiro Verardo, de 64 anos, conquistou o público internauta durante o decorrer deste ano com sua acessibilidade e variedade de obras publicadas introduzidas nas redes sociais. Nascido em São Vicente de Minas (MG), o autor começou a escrever ainda com 15 anos e desde então não parou. No total, são 36 livros já publicados por ele, de diversos gêneros, como: poemas, trovas, romances, religiosos, infantis, crônicas, entre outros. 

Para o escritor, a viralização nas redes sociais lhe concedeu o apoio de pessoas de várias regiões do país. “Tenho recebido um apoio extraordinário. Pessoas de todos os lugares do país estão me incentivando”, afirma. 

Reprodução: (@verardocavalheiro)

Independente da época, o trabalho com a literatura não tem sido uma tarefa fácil para os escritores no Brasil – e muitos só foram reconhecidos depois de falecidos. O assunto ainda é complexo e pouco pautado, necessitando da criação de políticas que conscientizem estudantes desde cedo ao apoio e orgulho dos autores nacionais, além de programas que invistam na carreira profissional da categoria, destaca Cavalheiro. 

“Conheço e sei que existem muitos bons escritores espalhados pelo Brasil. Com oportunidades e reconhecimento, esses talentos podem frutificar cada vez mais. Entre vários fatores, cito incentivar de forma constante os escritores, principalmente os mais jovens”, reitera o escritor. 

Reprodução: Arquivo pessoal.

A banalização da escrita como ofício ressalta a força que literários têm de prover para continuarem a escrever e agregar no acervo sociocultural brasileiro. Ainda de acordo com Cavalheiro, sua inspiração para escrever surge com os sentimentos do cotidiano, como a saudade, a esperança, a paixão, alegria e tristeza. Em meio ao descaso, o autor reforça que tem como motivação o anseio de publicar seu trabalho, e continuará divulgando em todos os lugares. 

“A pessoa que mais gosta do que eu escrevo, sou eu mesmo. Quando encontro alguém que gosta, fico contente, e quando alguém não gosta, respeito. Meus livros são um patrimônio que muito me orgulha, e tenho prazer em divulgá-lo em quaisquer lugares”, finaliza. 

As obras do autor estão disponíveis para encomenda, com envio para todo o Brasil, e podem ser feitas pelo e-mail cavalheiroescritor@gmail.com ou pelo Instagram: @verardocavalheiro. 

Report

Written by Quezia Dias

Estudante de Jornalismo, nascida em Belém do Pará. Com 20 anos de idade, desde muito nova descobriu a paixão pela escrita e pela música.

Com estilo musical eclético, que vai desde o grupo sino-coreano EXO à banda britânica McFly, é prazeroso escrever sobre os hits do momento e a carreira musical de artistas. Além de acompanhar os principais filmes em destaque nos cinemas!

Your Blonde Hair Needs These Purple Shampoos, For Sure

5 motivos para assistir à série Monstros no Trabalho

5 motivos para assistir à série Monstros no Trabalho