in ,

Marielle Franco: vida e morte da ativista serão contadas em original Globoplay criado por José Padilha e Antonia Pellegrino

Marielle - O Documentário

A história da vida e da morte de Marielle Franco será contada através de uma série original Globoplay em oito episódios, ainda sem título, que marcará o primeiro trabalho do cineasta José Padilha com a Globo. O projeto nasceu de um argumento da autora Antonia Pellegrino, que será criadora e produtora executiva da série. Padilha atuará como diretor, criador e produtor executivo. Com previsão de lançamento em 2021, a obra será realizada em coprodução com os Estúdios Globo e reforça o investimento do Globoplay na produção de conteúdo original brasileiro.

“José Padilha é o maior cineasta brasileiro da atualidade e é um privilégio tê-lo no Globoplay à frente de um projeto tão importante. Decidimos jogar luzes sobre a trajetória de Marielle Franco para que sua história, já conhecida no Brasil e no mundo, vá ainda mais longe – e Padilha ajudará a ampliar o alcance dessa história para grandes audiências”, diz Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais da Globo.

Com previsão de duas temporadas, a primeira vai girar em torno da biografia de Marielle Franco, culminando com as circunstâncias do crime que chocou o Brasil e o mundo. Já na segunda, o foco será nos mandantes e, se o caso for solucionado, na resolução do crime.

“Vamos contar uma história importante, a história da vida e, infelizmente, da morte de Marielle. E, ao fazê-lo, vamos abordar, mais uma vez, o problema da violência urbana no Rio, da corrupção policial e das milícias e sua influência na política. A série será ficcional, como os dois Tropas de Elite foram ficcionais. Mas baseada em uma história real e na vida de Marielle, e em tudo o que ela representa”, pontua José Padilha.
“Sabemos que a memória de Marielle vive e não precisa de nós. Nós, que estamos vivos, é que precisamos da história dela – pra nos lembrar nossa própria humanidade. Marielle foi além em tudo o que fez, e em sua morte não foi diferente. O assassinato de Marielle Franco não é o único no Rio de Janeiro, cidade marcada pelo crime, mas é o único capaz de fazer o esgoto da cidade vir à tona”, afirma Antonia Pellegrino.

O primeiro e o último episódio da série serão escritos por José Padilha e Antonia Pellegrino. Os demais serão roteirizados por um time de colaboradores, ainda a ser convidado para o projeto. Para liderar a sala de roteiristas, a Globo convidou o autor George Moura.

“Fiquei muito entusiasmado quando fui convidado pelo Globoplay para compor esse time, em meu primeiro trabalho com o José Padilha. A ficção, mesmo quando baseada em fatos reais, nos dá uma liberdade de investigar mais as motivações subjetivas que movem os personagens. É como se no documentário e na reportagem a realidade sempre fosse a última instância. Já na ficção, o desejo e o sonho podem falar mais alto.

É uma honra e uma alegria fazer parte de um time que quer contar a história de uma heroína contemporânea brasileira como a Marielle Franco, neste momento do Brasil”, destaca George Moura, que assinará também a produção executiva da série.

Com direitos de exibição exclusivos do Globoplay no Brasil, a ideia é que o projeto ganhe o mundo. “Vamos buscar uma parceria internacional para viabilizar a exibição da série no mundo todo. A ideia é contar a incrível história vivida por ela para o maior número possível de pessoas, dentro e fora do país”, complementa Padilha.

As gravações da série têm início previsto para o segundo semestre de 2020, mas o diretor viajou de Los Angeles para o Rio de Janeiro especialmente para formar o time de roteiristas. A maior parte das cenas será rodada em locações no Rio.

Report

Comments

Deixe uma resposta

Loading…

Loading…

0

Written by Gabriel Lucas

23 anos, respira música mesmo não tendo dom para tal, super eclético, criador do Nation POP, compartilha um pouco de tudo que gosta.

‘Mestre do Sabor’ vê família crescer com a chegada de dois novos integrantes ao time

Shows da turnê “Fogueira em Alto Mar”, de Ana Carolina, são adiados