in , ,

Beyoncé: Entenda a doença crônica que afeta a cantora desde a infância

Beyoncé: Entenda a doença crônica que afeta a cantora desde a infância 1
Foto: @beyonce/Reprodução/Instagram

Cantora revelou sofrer de doença crônica que afeta diretamente seu couro cabeludo; especialista comenta sobre o caso da celebridade

Recentemente, a diva pop revelou em uma entrevista à revista “Essence”, que sofre de psoríase desde muito nova. “Tenho muitas lembranças ligadas ao meu cabelo. A relação que temos com nossos cabelos é uma jornada profundamente pessoal. Desde passar a infância no salão da minha mãe até meu pai aplicar óleo no couro cabeludo para tratar minha psoríase – esses momentos foram sagrados para mim”, recordou a cantora.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a psoríase é uma doença da pele relativamente comum, crônica e não contagiosa. Além disso, “é cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente”, diz o site oficial.

Ainda segundo a SBD, a doença atinge cerca de 3% da população mundial, isto é, 125 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, são 5 milhões de brasileiros afetados.

Segundo o dermatologista Doutor José Carlos Maruoka, médico atuante na clínica Pineapple Hair Brasil, a psoríase capilar afeta, exclusivamente, o couro cabeludo e se apresenta como uma  descamação associada à vermelhidão, em formato de placas. 

“Alguns profissionais, se não treinados para identificá-la, podem diagnosticar as placas como presença de caspa. Por se tratar de uma condição inflamatória crônica, leva a uma série de sintomas desconfortáveis e afeta muito a autoestima dos pacientes.”, pontua o doutor.

Muitos fatores podem tornar-se gatilhos para o desencadeamento do quadro, como o estresse, infecções no couro cabeludo, consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo, ou a utilização de medicamentos, como por exemplo o uso de betabloqueadores, lítio, cloroquina etc. Os sintomas mais comuns nesta dermatose cíclica variam de pessoa para pessoa, conforme a apresentação e gravidade da doença.

“Geralmente os sintomas mais apresentados em indivíduos que são acometidos pela doença, são: placas escamosas; dor e/ou incômodo semelhante à queimação; sangramento devido a coceira; queda de cabelo. O que faz impactar na qualidade de vida e na autoestima do paciente.”, explica o dermatologista.

Segundo o especialista, a condição inflamatória no couro cabeludo, como no caso de Beyoncé, pode levar à danificação dos folículos, enfraquecendo os fios e afetando seu ciclo de vida. “Assim também, em casos de cicatrização devido a psoríase, há o impedimento no crescimento dos fios. É importante ressaltar que o estresse associado pode desencadear eflúvio telógeno, uma condição de queda dos fios mais acentuada, por determinado período.”, comenta o profissional.

Ainda segundo o doutor, os pacientes com a doença sofrem muito preconceito em razão das lesões e deformações aparentes na pele, o que não restringe o impacto da doença somente ao corpo, mas também à saúde mental, podendo causar depressão, ansiedade, afetando diretamente a qualidade de vida e o bem-estar emocional do paciente. “É estritamente recomendável um acompanhamento profissional, e se necessário, de acordo com o impacto da doença, uma ajuda terapêutica seria de grande auxílio ao paciente.”, reforça o especialista.

Já o tratamento da psoríase é de forma individualizada, pois cada caso da doença responde melhor a um tipo diferente de tratamento. “Geralmente, em casos mais brandos, a hidratação da pele e a aplicação de medicamentos em regiões afetadas pela doença orientada por especialistas, podem ser suficientes para melhorar o quadro clínico e promover o desaparecimento dos sintomas. Além de que, uma alimentação balanceada e a prática de atividade física podem ajudar nesse processo de recuperação.”, diz o doutor.

Deve-se estar atento ao aparecimento da doença. Em caso de manifestações dos sintomas, procure um dermatologista imediatamente. “Há diversos tipos de psoríase, quanto mais cedo o diagnóstico por um dermatologista especializado, mais fácil a classificação da doença e o tratamento.”, conclui Maruoka.

Escrito por José Carlos

Foto: Divulgação/Leve Press

Otávio Cillo apresenta EP2 do audiovisual, com foco na “Top 1”

Na imagem, há a publicação de renovação do treinador Ricardo Costa pelo São José

São José EC anuncia renovação de contrato com Ricardo Costa